Aquele abraço... Sonho ou realidade?

Em 2013, você percorreu o meu sonho (Um sonho para recordar).
Me inundou o meu espírito com esperança (otimismo).
Seu abraço... Ah, seu abraço... Como esquece-lo?
Gostaria que tudo aquilo fosse real.
E não foi... Era apenas um sonho.

Saiba que ainda choro ao lembrar de tudo aquilo que vivemos e não vivemos.
O mesmo choro que tive ao despertar do nosso encontro.
Reconheço que minha mente criou tudo isso, mas tenho a esperança de que possa ser real.
Sim! Creio nisso com toda a minha força, meu coração e minha alma.
Justamente, por aquele sentimento que você me despertou, e que carrego comigo...

Sonho ou não, real ou imaginário, eu me apaguei a você.
Apegar é muito superficial para descrever o que realmente sinto.
Não encontro palavras para descrever.
Sei apenas sentir...
Mesmo sem forma, sem rosto, sem um formato.
Livre de tudo e tão presente ao mesmo tempo.
Por anos procurei por você.

E recentemente, pude senti-lo naquele abraço.
Incialmente um pouco estabanado, assim como eu...
Mas foi aquele mesmo, aconchegante, caloroso e sufocante de esperança.
Naquele momento, senti que minha mente não estava mais flutuando por ai...
Estava fixa naquele tempo e espaço.
Minha alma foi inundada novamente...
Paz, serenidade, otimismo, força, confiança e aquela vontade devastadora de enfrentar a vida.
Foi exatamente como no nosso primeiro encontro.

Tudo tem um porém.
E num curto período de tempo ele chegou...
Assim como a água entre minhas mãos, você se foi.
Mesmo partindo, você está tão perto e ao mesmo tempo tão longe.
Reconheço que as areias do tempo são impetuosas e frias.
A cada grão que cai, aquela esperança é arrancada da minha essência.

Minha alma agoniza.
De grão em grão, ela se torna mais fria.
E isso me atormenta.
Minha alma grita...
E a mente quer extinguir você...
Já o meu coração...

Por isso, eu me pego me perguntando...
Era você realmente?
A resposta que sempre vem é... Eu não sei....
Talvez possa ser um equívoco causado pela esperança e ansiedade.
Mais do que ninguém, você sabe o quanto eu quero encontrá-lo.

0 comentários:

Postar um comentário